BLOG MONTELONGO
Olhares para Fafe
04
Mar 17

Opinião de Pedro Sousa publicada no seu blog:

 

A INDAQUA tem leis que prejudicam os fafenses e a Câmara nem pode dizer nada? É assim que incentivam os jovens a construir? Não venham com testes de qualidade porque basta dar uma volta pela cidade, ouvir os comerciantes, por exemplo, e logo nos é apresentado um conjunto de situações que nos apontam o contrato da Câmara com a INDAQUA como um atentado ao bolso dos contribuintes fafenses.

Sabiam que há comerciantes em Fafe, em pleno século XXI, que não dispõem de casa de banho no estabelecimento, porque têm de pagar o mesmo valor seja uma loja de roupa ou um café?

E sabiam também que há truques para iludir o consumidor? Ora vejamos:

Primeiro, uma pessoa em Fafe ao construir pede um “Contador de obras”, porque não dá para colocar logo definitivo (porquê) e paga 53,14 como “Depósito de garantia”;

Indáqua Fafe

 

Segundo, acaba a obra e pede para mudar de obras para definitivo/doméstico. Não dá. Tem de pagar 46,14 para “Suspensão da ligação a pedido do utilizador” (o utilizador não queria suspender, mas mudar, percebem, mudar para consumo doméstico);

2a.jpg

Terceiro, como para pedir licença de habitabilidade é necessário estabelecer contrato com a servidora de águas, toca a pagar mais 46,62 para Instalação definitiva, aqui porque ficou um metro atrás do que estava inicialmente. Resumo da história: a garantia ou caução é uma fraude, porque paga obrigatoriamente para “suspender” quando só quer ALTERAR.

Alguém anda a precisar de aulas de português, não?

Mas a INDAQUA socorre-se do “Regulamento do Serviço Público de Abastecimento de Água no Concelho de Fafe, publicado no Diário da República, 2.ª Série – N.º 63, de 28 de março de 2012, e foi aprovado pela Assembleia Municipal de Fafe em sessão ordinária de 24 de fevereiro de 2012, sob proposta do executivo camarário de 2 de fevereiro de 2012” para justificar que podem ‘pedir caução aos utilizadores para uso não doméstico’. Até aí, tudo bem, mas por que não o devolvem conforme deveria ser aquando do pedido de ‘substituição de contador?’

É disso que se trata. Nem poderia ser possível de outra forma, não é?

A INDAQUA detém o monopólio das águas e, mesmo que quiséssemos, não há alternativa a não ser recorrer novamente ao contrato com a INDAQUA para obter licença de habitabilidade. Ou seja, um tipo paga caução e esta é-lhe retirada quase na totalidade porque é obrigado a terminar um contrato e a contratualizar outro.

Ora façam-me um favor e não brinquem com o nosso dinheiro!

Mas a culpa não é só deles, o executivo (Fevereiro 2012, logo os anteriores) que assinou estas leis tem a mesma responsabilidade. E, segundo consegui apurar com o Vereador responsável pelo pelouro, só em 2021 é que se pode renegociar.

 

Ou isto muda já ou só vejo uma solução: INDAQUA em Fafe? Não, obrigado!

publicado por blogmontelongo às 18:00
Temas: ,
13
Jun 15

Opinião de José Freitas Pereira publicada no jornal Povo de Fafe:

 

O saneamento básico é dos serviços públicos que mais dinheiro custa aos contribuintes, quer nas infra-estruturas, quer nas taxas aplicadas. Tem como principal finalidade, prevenir doenças e melhorar a qualidade de vida das populações, preservando também o meio ambiente.

Em Vila Cova, a rede de saneamento, que tantos milhares de euros custou ao erário público e que cobre cerca de 75% da "Freguesia", ainda não se encontra a servir os utentes. Porque? Os responsáveis saberão o que se passa ou será difícil resolverem uma coisa que parece fácil? Estamos todos a perder com esta lamentável situação. É preciso uma atitude firme para que casos destes não se arrastem no tempo!

Apelamos também, para que relativamente à água pública, se resolva de vez o problema da pressão! O investimento na rede foi avultado na "Freguesia", como em todo o lado, contudo mantém-se o referido dilema. Os técnicos da Indáqua dizem que se aumentar a pressão, os tubos rebentam e determinados sítios! Então sendo assim, onde param os responsáveis pela qualidade do material adquirido? Não existem garantias? É inconcebível que utentes tenham de recorrer a motores suplementares para aumentar a pressão!

Neste contexto dizem que compete ao município intervir. À população, não lhes interessa saber quem são os responsáveis, interessa-lhes sim que o problema seja resolvido, pois paga os respectivos consumos e impostos inerentes e como tal tem de ser servida com a qualidade de serviço e padrões de potabilidade a que tem por direito.

publicado por blogmontelongo às 18:00
01
Abr 15

Opinião de Pedro Sousa no seu blog:

 

As relações que o Município foi estabelecendo ao longo de 30 anos não são de todo as melhores para os cidadãos fafenses. Já sabemos a história amorosa do Município e da Naturfafe, o quase divórcio do Município e da COFAFE e… ainda temos de levar com mais esta privatização das águas que é dos assuntos que nenhum país deveria permitir. Água e Luz nunca deveriam ser privatizadas ou, pelo menos, sem que o poder público tivesse controlo para que não existissem abusos.

Todos nós sabemos que dentro das relações, para que elas funcionem, têm de existir cedências de parte a parte. Hoje cedo eu aqui, tu amanhã arranjas 20 postos de trabalho para os meus fiéis seguidores e se não são passam a ser…

Relações à parte, parece-me que há aqui uma distração de Raúl Cunha em compactuar com esta situação da INDAQUA. Mas também me parece que o PSD não está a fazer o seu trabalho nesta matéria. Uma das propostas do candidato do PSD, se ganhasse as eleições, era municipalizar as águas de imediato. É bem verdade que o PSD não ganhou, mas está lá. Também é verdade que já aconteceram negociações entre o Município e a INDAQUA nesta legislatura e as coisas agravaram-se em matérias de taxas… Sinceramente não sei o que diga quanto a isto…

O que me parecia, neste momento, mais importante seria repensar a forma como estão a fazer as coisas, ou seja, na carta que estão a enviar aos munícipes há um discurso muito pomposo, a roçar a benevolência, mas logo diz ‘ou faz ou paga multas pesadas’.

IMG_20150325_112945.jpg

O que é isto?

Esta atitude não está compatível com a que Raúl Cunha nos tem vindo a presentear. Não seria mais eficaz se agora surgisse apenas só a parte em que diz: neste momento quem quiser meter água da companhia, que será obrigatória para todos, mais ano menos ano, os custos serão suportados pela autarquia e quem não quiser agora ‘só terá direito à ligação gratuita todos os que ultimamente tiverem acesso ao ramal’ ou até 'todos e pronto'.

Para que fique bem claro, isto não é uma questão pessoal, até porque a minha casa já é servida pela rede de águas pública, só espero que não saia azul ou às cores, e também concordo que todos os edifícios estejam ligados por uma questão de saúde pública, mas só concordarei com isto quando o concelho estiver coberto a 100%, o que não é o caso. E porque também sei que isto só servirá para pagar uma taxa à INDAQUA, porque as pessoas vão continuar a beber a água do seu poço… e há pessoas que mais uma taxa faz diferença, onde está a JUSTIÇA SOCIAL? 

É por estas e por outras que me sinto mais à esquerda dos tais da esquerda...

Fafe está com uma imagem muito positiva neste momento. Não mudo uma vírgula aos artigos que escrevi até ao momento, mas mais importante do que a imagem para o exterior é a qualidade de vida dos seus Munícipes, pois essa é a melhor imagem que qualquer concelho pode dar.

publicado por blogmontelongo às 18:00
pesquisar neste blog
 
Contacto
blogmontelongo@sapo.pt
comentários recentes
morar num prédio é lixo!!! leva-se com todos os ba...
e na Trofa, também!
Obrigada "h" pela atenção. Já se corrigiu o erro.
Seria importante que as escolas não encerrassem an...
http://www.scoop.it/t/explore-minho/p/4024462499/2...
Da me a ideia que o senhor anda fugido de fafe. Ma...
Realmente a ligação à ruralidade tem vindo a perde...
Certíssimo caro Luís. Não há nenhuma relação com n...
Daquilo que me apercebi é que este novo blog "roub...
Bom dia AlbertoA minha ideia e manter o blog plura...
Mensagens
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Farmácia de Serivço

blogs SAPO