BLOG MONTELONGO
Olhares para Fafe
16
Set 17

Opinião de José Ribeiro, candidato pelo Fafe Sempre à Assembleia Municipal de Fafe, publicada no jornal Expresso de Fafe:

 

Aprendi, como os meus pais a respeitar, para ser respeitado; a ser sério e não querer o que não é meu; a ser educado na relação com os outros; a ser humilde; a ser honesto; a ser grato e a honrar a palavra. Aprendi, com os meus pais e pelo seu exemplo, a respeitar os meus compromissos, a não mentir, a falar verdade, a ter palavra mais que dinheiro ou vaidades. Aprendi também por eles, a não atropelar os outros, a esperar pela minha vez, a ter princípios e valores nas relações humanas, a não fingir, a ser leal e sincero e a ser Homem.

Recebi do meu pai o gosto de trabalhar pelo bem comum. A doutrina cristã que me impuseram, mas a quem agradeço o contributo na minha formação, ajudou muito a consolidar esses meus princípios de vida.

 

A minha chegada à vida politica, por convite do PS local em 1982, (depois de outras solicitações que recusei), não abalou em nada as minhas convicções, os meus valores e princípios, talvez até os tenhas reforçado e acrescentado mais altruísmo, mais generosidade, solidariedade e dureza de caracter. Aprendi com as desilusões dos cargos que exerci e da vida, que os egoísmos, os interesses, a hipocrisia, a falsidade e a ingratidão subvertem as proclamações dos valores e dos princípios e tornam as pessoas “irracionais pensantes”, mentirosos compulsivos, vendilhões do templo, verdadeiros maquiavéis.

 

Fui convidado pelo Dr. Antero Barbosa para candidato nestas eleições a Presidente

da Assembleia Municipal. Não queria, nem pensei alguma vez sê-lo. Mas fiquei muito honrado pelo convite e aceitei. Não foi preciso pedirem-me. Nunca aceitei que me pedissem para desempenhar qualquer cargo ou lugar. Sempre que fui convidado, aceitei ou não, mas nunca, nunca rejeitei o convite de alguém para depois aceitar “a pedido de várias famílias” ou de quaisquer notáveis. Sempre honrei a minha palavra perante cada interlocutor. Aceitei porque, verdadeiramente, não podia rejeitar o convite, porque me sinto obrigado a retribuir igual gesto do Dr. Antero Barbosa ao aceitar o meu convite para ser candidato à Camara; porque me sinto capaz, com competências e experiencia bastante para fazer o papel de arbitro que o lugar pede; porque enquanto Presidente do PS eleito (não nomeado), sinto o dever de o defender (PS) da afronta, da tentativa de humilhação, da ofensa que Lisboa e os seus mandatários de Fafe nos querem fazer, aos socialistas e aos Fafenses.

 

Sou candidato para defender os valores e princípios da verdade, da lealdade, da gratidão e da solidariedade. Sou candidato para defender a democracia, a independência e a autonomia de Fafe e dos Fafenses contra as nomeações de Lisboa. Lisboa nomeou os seus candidatos e retirou-nos o símbolo, obrigando-nos a uma candidatura Independente. FAFE SEMPRE. Por isso, digo também que EM FAFE MANDAM OS FAFENSES. Confio muito, sempre confiei muito no sentido de verdade e de justiça dos Fafenses. Os Fafenses sempre confiaram muito em mim e julgo que lhes dei e continuo a dar razões para manterem essa sua confiança.

 

Hoje, quando faço esta crónica, passam 41 anos da morte trágica do meu pai. Aqui honro singelamente a sua memória, presto tributo ao seu exemplo de vida inspirador a favor do bem comum e sobre o seu túmulo deposito uma bonita rosa vermelha que há dias me entregaram como símbolo da nossa luta.

FAFE SEMPRE

 

Jose Ribeiro Fafe

 

publicado por blogmontelongo às 18:00
29
Jul 17

Fafe autárquicas 2017 PSD CDS arões

 

publicado por blogmontelongo às 18:00
26
Jul 17

Opinião de Antero Barbosa publicada no jornal Notícias de Fafe:

 

No último texto publicado neste jornal abordei, muito resumidamente, o que pretendo fazer, caso mereça a confiança dos eleitores, naquilo que diz respeito à atenção que pretendo dar na ligação da câmara às empresas: atrair novas empresas; apoiar as existentes e criar emprego.

Hoje apresento, também resumidamente, uma proposta de requalificação da Praça Mártires do Fascismo (Feira Velha). Sei que há muitos outros espaços a necessitar de requalificação, por exemplo a Praça José Florêncio Soares – que enquadra o Hospital, Tribunal e Igreja Nova), mas hoje quero apresentar uma ideia, que necessariamente terá de ser trabalhada com mais profundidade na fase da sua concretização.
No essencial, na requalificação deste espaço nobre da Cidade, com o enquadramento que as imagens indicam, assumem-se os seguintes objetivos:

1. Conferir um maior protagonismo ao edifício dos Paços Concelho, como é normal em quase todas as cidades de Portugal e da Europa. A Praça da “Feira Velha” tem potencial para ser a praça central da cidade, com a ligação ao parque da cidade.
2. Pensar de forma articulada e integrada os espaços verdes e os espaços de uso público (ruas, jardins e parques), para que na diversidade se releve a identidade e o potencial de uso diferenciado de cada espaço;
3. Criar uma praça que para além da utilização quotidiana, possa ser lugar de iniciativas e eventos de carater público. Eventos de todo o tipo, com utilização polivalente da zona coberta reservada a estacionamento;
4. Garantir 200 lugares de estacionamento coberto no piso inferior, que possa servir a dinâmica da cidade na sua área mais central.
O piso inferior, para além do estacionamento, será concebido em moldes modernos e poucos habituais, para funcionar como verdadeiro parque multiusos sempre que necessário, para atividades desportivas, culturais, sociais e recreativas. Estará concebido com desafogada ventilação natural, generosas entradas de luz e confortáveis acessos para todos. Terá as necessárias condições de segurança, de uso e conforto, contrariando o paradigma negativo dos “parques subterrâneos”.

5. À superfície estende-se uma área arquitetonicamente muito qualificada, com versatilidade para uso livre dos cidadãos e para as mais diversas iniciativas públicas, podendo ainda optar-se por colocação amovível de estruturas que permitam sombreamento nas iniciativas nos dias mais quentes de verão, como se pode verificar na fig.3.

Este projeto assume a dimensão de opção estratégica, no sentido que transformará a vivência e a imagem do Centro da Cidade. Será uma aposta para os próximos quatro anos e que será construído necessariamente com recurso aos fundos comunitários.

 

Fafe Feira Velha

 

publicado por blogmontelongo às 18:00
12
Jul 17

Opinião de Antero Barbosa, PS/Fafe, publicada no jornal Notícias de Fafe:

 

A Candidatura do movimento independente FAFE SEMPRE, está, neste momento, em fase de elaboração do programa eleitoral. Assumiu o Eng. Raúl Cunha a responsabilidade de coordenação de todo o processo. A seu tempo será apresentado.
Quero, no entanto, aproveitar esta oportunidade para expressar, muito resumidamente, o que pretendo fazer no que se refere à atenção que pretendo dar na ligação da câmara às empresas.
As câmaras municipais só há pouco anos começaram a assumir competências na área do desenvolvimento económico.
Hoje, no País, temos algumas câmaras com políticas avançadas de competitividade territorial na busca de novas e inovadoras empresas e outras que nem da limpeza dos parques industriais são capazes de tratar. Ignora-se que o desenvolvimento económico passa em grande medida por novas políticas de apoio às empresas e no criar de condições físicas e imateriais para que novas empresas se instalem no Concelho. Por isso quero que o Município tenha uma verdadeira política de atração de novas empresas e de apoio integrado às existentes.
Assim, o desenvolvimento económico e a ligação da câmara às empresas será uma área a que darei o máximo de atenção. Por isso, este pelouro será da responsabilidade direta do Presidente.
Em concreto, a avaliação que fazemos assenta nas seguintes premissas;
- Os Parques Empresariais existentes, têm várias fragilidades, nomeadamente no que diz respeito a acessos, organização funcional e ausências de infraestruturas tecnológicas como a fibra ótica;
 - Não possuímos estrutura funcional de diplomacia económica, que assente num plano de marketing territorial, se dedique a atrair empresas nacionais e estrangeiras para o Concelho;

 - Não temos uma verdadeira política de fiscalidade para as empresas, que seja competitiva face a territórios vizinhos. Aplaudem-se medidas pontuais, como a decida recente da derrama, mas importa sublinhar que são insuficientes.
 - Não temos processos de licenciamento céleres ou na hora que alguns municípios já têm;
 - Não temos espaços para incubadoras de empresas inovadoras e de base tecnológica;
Nesta perspetiva, assumimos que atrair empresas, apoiar as existentes para criar empregos é um projeto estratégico de grande importância. O emprego atrai pessoas e habitantes e permite o desenvolvimento sustentado do Concelho.
Por isso, a partir do dia 1 de outubro, apostaremos num conjunto de ações e de investimentos que se consideram prioritários:

1. Parques Empresariais
Tratar dos acessos, principalmente Arões ( concretizar o há muito projetado nó de arões) e Regadas onde é necessário fazer tudo e também tratar das acessibilidades em cooperação com a câmara de Felgueiras). Dotar todas as zonas industriais das infraestruturas tecnológicas tão necessárias como, entre outras, a fibra ótica. Dar, de facto, atenção diária a todos os parques industriais pelos serviços da câmara pela importância que eles têm na dinâmica da cidade.

2. Diplomacia Económica

Para atrair novas empresas na Câmara Municipal criaremos um gabinete específico que estabeleça relações permanentes com os adidos económicos das embaixadas de países estrangeiros em Lisboa e das nossas embaixadas nos diversos países. Este gabinete terá também a seu cargo as relações com o AICEP e a concretização de um plano de marketing territorial.

3. Fiscalidade competitiva
Importa que o concelho seja maximamente competitivo em termos de fiscalidade para as empresas instaladas e para aquelas que venham a instalar-se, por isso os impostos municipais serão sempre nos valores mínimos permitidos por Lei.

4. Via verde para licenciamento de empresas
Quando um empresário decide investir necessita de respostas céleres ou imediatas. Criaremos uma via verde para os projetos das empresas que pretendam ampliar as suas instalações ou queiram investir no Concelho.

5. Incubadora de empresas inovadoras de base tecnológica
Criar um espaço que seja um convite ao empreendedorismo das novas gerações que queiram apostar em empresas inovadoras, à semelhança do que existe em muitos concelhos (Proposta já apresentada pelo PSD e com a qual concordo e como tal a adoto).
Em suma, uma atitude mais ativa e de cumprimento da palavra dada junto daqueles que são os grandes responsáveis pelo desenvolvimento económico de Fafe.

Antero Barbosa autárquicas Fafe

 

publicado por blogmontelongo às 18:00
pesquisar neste blog
 
Contacto
blogmontelongo@sapo.pt
comentários recentes
morar num prédio é lixo!!! leva-se com todos os ba...
e na Trofa, também!
Obrigada "h" pela atenção. Já se corrigiu o erro.
Seria importante que as escolas não encerrassem an...
http://www.scoop.it/t/explore-minho/p/4024462499/2...
Da me a ideia que o senhor anda fugido de fafe. Ma...
Realmente a ligação à ruralidade tem vindo a perde...
Certíssimo caro Luís. Não há nenhuma relação com n...
Daquilo que me apercebi é que este novo blog "roub...
Bom dia AlbertoA minha ideia e manter o blog plura...
Mensagens
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Farmácia de Serivço

blogs SAPO