BLOG MONTELONGO
Olhares para Fafe
23
Set 15

Opinião de Carlos Rui Abreu, director-adjunto do jornal Notícias de Fafe:

logo.png A última reunião do executivo municipal foi bastante rica do ponto de vista da análise de comportamentos. Assisti da primeira fila a coisas que me deixaram a penser e que gostava de partilhar com os nossos leitores. Desde logo porque foi uma das mais longas reuniões deste mandato e teve um ponto que gerou muita discussão.

Pôs-se a jeito Parcídio Summavielle e seus pares quando, numa proposta assinada a duas mãos com Leonel Castro, apresenta para discussão e votação um documento onde solicitava um apoio de 150 mil euros para a ACR de Fornelos. Instituição de méritos bem evidentes, merecedora da máxima atenção e respeito e, por certo, merecedora de mais um apoio do município.

O problema é que dos três vereadores dos Independentes por Fafe com lugar efectivo no executivo, dois deles estão intimamente ligados à colectividade. Rosa Maria Pinheiro é a presidente e Vítor Silva o tesoureiro. É certo que ambos, acredito que de forma propositada, faltaram à reunião uma vez que também não poderiam votar e entregaram essa tarefa aos seus pares.

Esta situação é o exemplo daquilo que não pode ser a política. Independentemente dos cargos que os diversos vereadores ocupem na sociedade não devem misturar funções e já não é a primeira vez que a ACR de Fornelos, repito, instituição notável que não pode nem deve sair beliscada neste processo, é alvo de conversa e debate nas reuniões do executivo. Uma coisa é a actividade política com o pensamento num colectivo que é Fafe e outra é a actividade de Rosa Maria Pinheiro como dirigente da associação.

Há certas coisas que vejo e ouço nas reuniões de Câmara que me fazem, muitas vezes, mexer na cadeira. Estas como tantas outras que também trouxe a este espaço de opinião.

Mas, como aludi no início desta prosa, este não foi o único comportamento em que me foquei na última reunião. O presidente da Câmara, Raul Cunha, eleito como independente nas listas do PS, teve um comportamento que nunca lhe havia visto anteriormente. Na fase de discussão e votação de, pelo menos dois pontos da reunião, perguntou como é hábito a intenção de voto dos IPF e ao PSD e depois de ele próprio manifestar a sua perguntou qual era a posição do PS, olhando para os vereadores à sua esquerda.

Estranho, numa Câmara que lidera com mais três vereadores socialistas. Não estará o sentido de voto das propostas que vão à reunião já definido entre si. Neste mandato já houve uma proposta chumbada com o voto favorável do presidente da Câmara e os votos contra dos restantes socialistas mas o que transpareceu é que na Câmara existem quatro vozes. A de Raul Cunha, a do PS, dos IPF e do PSD.

E por falar na voz do PSD, a meio do mandato parecem começar a abrir pequenas grandes brechas na coligação.

O mal-estar de Eugénio Marinho e José Baptista pela forma como a Câmara não comunica as suas acções, os 'esconde' dos programas de televisão onde todos falam menos eles, já deixou de ser novidade, é manifestada em público e, agora, ambos optam por uma assessoria de comunicação paralela à que é desenvolvida pela Câmara.

Basta entrar no Facebook e ver... está à vista de todos.

Facebook de Eugénio Marinho

 

publicado por blogmontelongo às 18:00

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

pesquisar neste blog
 
Contacto
blogmontelongo@sapo.pt
comentários recentes
morar num prédio é lixo!!! leva-se com todos os ba...
e na Trofa, também!
Obrigada "h" pela atenção. Já se corrigiu o erro.
Seria importante que as escolas não encerrassem an...
http://www.scoop.it/t/explore-minho/p/4024462499/2...
Da me a ideia que o senhor anda fugido de fafe. Ma...
Realmente a ligação à ruralidade tem vindo a perde...
Certíssimo caro Luís. Não há nenhuma relação com n...
Daquilo que me apercebi é que este novo blog "roub...
Bom dia AlbertoA minha ideia e manter o blog plura...
Mensagens
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Farmácia de Serivço

blogs SAPO